Exclusivo COVID-19: Ministério da Ciência Chinês e médicos especialistas recomendavam ‘unanimemente’ o uso de Cloroquina desde 17 de Fevereiro

Em matéria exclusiva o Tome Partido apurou que o uso da Cloroquina é recomendado desde 17 de Fevereiro deste ano pelo Ministério da Ciência e Tecnologia da China. Grande parte da mídia brasileira omitiu o fato e criticou duramente o presidente Jair Bolsonaro por recomendar o tratamento desde os primeiros sintomas da doença. Sun Yanrong, vice-diretor do Centro Biológico do Ministério da Ciência e Tecnologia, em uma live/coletiva fez o comunicado oficial à época.

De acordo com matéria do site chinês The Paper segue o comunicado do Ministério :

O fosfato de cloroquina é um medicamento antimalárico. Após discussões cuidadosas e meticulosas, o grupo de especialistas em efeito terapêutico finalmente chegou a um consenso e concordou que o fosfato de cloroquina é um medicamento antigo que está no
mercado há muitos anos e sua segurança no tratamento de uma ampla gama de
pessoas é controlável. . Com base na pesquisa clínica realizada por instituições
pré-clínicas, os resultados podem confirmar que o fosfato de cloroquina é eficaz
no tratamento de novas pneumonias coronárias. Com base nas necessidades
urgentes atuais de tratamento clínico, os especialistas recomendam
unanimemente que o fosfato de cloroquina seja incluído na nova versão das
diretrizes de diagnóstico e tratamento o mais rápido possível para expandir o
escopo de aplicação clínica
.

Ainda de acordo com o site chinês: ‘Uma pessoa sênior da indústria farmacêutica disse que se o fosfato de cloroquina e o Remdesivir têm efeitos semelhantes no experimento, então o fosfato de cloroquina é a melhor escolha . Por outro lado, a droga é usada na
prática clínica há muito tempo e sua segurança em humanos foi testada. Por
outro lado, o processo de produção nacional de fosfato de cloroquina está
maduro e a linha de produção está completa, e a produção pode ser iniciada
imediatamente, se necessário.

Em 29 de Feveveiro deste ano houve ainda um ajuste por parte da Comissão Nacional de Saúde da China na dosagem de acordo com a diferença de pesos entre pessoas:

Em 29 de fevereiro, o site da Comissão Nacional de Saúde anunciou o “Aviso
sobre o ajuste do uso e dosagem do fosfato de cloroquina experimental no
tratamento da nova pneumonia coronária” (doravante denominado “Aviso de
dosagem”). O aviso apontou que o “Plano de Diagnóstico e Tratamento de Pneumonia do
Novo Coronavírus (Ensaio Sexta Edição)” usa fosfato de cloroquina e outras
drogas como drogas antivirais que podem ser experimentadas na clínica e
recomenda o uso e dosagem com base nos testes clínicos da droga.
Recentemente, os dados de ensaios clínicos de fosfato de cloroquina foram ainda
mais enriquecidos. Para garantir que o medicamento seja mais seguro e eficaz no
uso clínico, após a pesquisa, a dosagem de fosfato de cloroquina para o
tratamento de nova pneumonia coronária foi ajustada da seguinte forma:
O fosfato de cloroquina para o tratamento de uma nova pneumonia coronária
é adequado para adultos entre 18 e 65 anos. Para aqueles com peso igual ou
superior a 50 kg, 500 mg de cada vez, duas vezes ao dia, durante 7 dias; para
aqueles com peso igual ou inferior a 50 kg, 500 mg de cada vez no primeiro e
segundo dias, duas vezes ao dia, e 500 mg de cada vez, uma vez por dia do
terceiro ao sétimo dia. O curso do tratamento é de 7 dias.
Desta vez, existem três características no ajuste e refinamento do uso e dosagem
de fosfato de cloroquina para o tratamento de nova pneumonia coronariana. Uma
é enfatizar que o uso de fosfato de cloroquina para o tratamento de nova
pneumonia coronária é adequado para pacientes entre 18 e 65 anos, e o fosfato
de cloroquina é ajustado de acordo com a diferença de peso do paciente.
Dosagem. A segunda é usar claramente contra-indicações e contra-indicações
relativas. A terceira é propor precauções durante o uso.
O fosfato de cloroquina é um medicamento antigo, usado no tratamento da
malária há mais de 70 anos, e considerado um dos medicamentos mais
promissores para novas pneumonias coronárias. De acordo com a recomendação
de dosagem original no Plano de Diagnóstico e Tratamento de Pneumonia do
Novo Coronavírus (Ensaio Sexta Edição), fosfato de cloroquina adulto 500mg
(0,5g) duas vezes ao dia, o curso de tratamento não deve exceder 10 dias.

Em 6 de Março deste ano ocorreu também um comunicado sobre o andamento do tratamento de pacientes, em matéria o site Chinês informa:

Fosfato de cloroquina tornou-se um medicamento de tratamento clínico para nova
pneumonia coronariana

O Mecanismo Conjunto de Prevenção e Controle do Conselho de
Estado realizou uma coletiva de imprensa para apresentar os últimos avanços em
pesquisa e desenvolvimento científico. Sun Yanrong, vice-diretor do Centro Biológico do Ministério da Ciência e Tecnologia, disse que a equipe de pesquisa científica é centrada no paciente e Wuhan é o foco. A pesquisa e a clínica estão intimamente integradas. O fosfato
de cloroquina agora se tornou um medicamento de tratamento clínico para nova
pneumonia coronária.

Como vimos a Cloroquina já está em uso desde o início deste ano na China. No Brasil o governo emitiu nota em 20 de maio pelo Ministério da Saúde. O documento liberava no SUS o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina até para casos leves de Covid-19, porém, o STF através do Ministro Celso de Mello acatou um pedido da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde (CNTS) e cobrou do governo uma resposta. No pedido continha:

  • que autoridades do governo federal não tomem medidas de enfrentamento à pandemia que contrariem as orientações científicas, técnicas e sanitárias das autoridades nacionais (Ministério da Saúde) e internacionais (Organização Mundial da Saúde);
  • que as autoridades do governo federal se abstenham de recomendar o uso de cloroquina e/ou hidroxicolroquina para pacientes acometidos de Covid-19 em qualquer estágio da doença, suspendendo qualquer contrato de fornecimento desses medicamentos;
  • que o governo pare de divulgar ou retire da internet e redes sociais orientações ou recomendações de cloroquina e/ou hidroxicolroquina para pacientes com Covid-19 em qualquer estágio da doença;
  • que o governo publique, na página do Ministério da Saúde e no perfil da Secretaria de Comunicação em uma rede social, a seguinte frase: “As evidências científicas mais recentes comprovam que a cloroquina e hidroxicloroquina não têm qualquer efeito no tratamento de pessoas com COVID19 e ainda podem piorar os efeitos da doença, aumento a taxa de mortalidade”.

Ainda por parte do STF o Ministro Barroso em uma entrevista em 8 de Junho ao Movimento LIVRES cita em tom sarcástico o uso da Cloroquina ao ser perguntando sobre um possível golpe militar na época: “Eles vão dar o golpe [em nome] de quê? Difundir a cloroquina?”, disse.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s